PubhD Porto # 6 Nutrição Clínica, Psicologia e Geriatria, Fado

Nutrição Clínica, Psicologia e Geriatria, fado e, talvez, uma canção aqui e ali. O próximo PubhD Porto vai trazer para a ribalta áreas menos populares na opinião pública. A delicada missão está a cargo de Adryana Cordeiro, doutoranda e mestre em Clínica Médica/Faculdade de Medicina/ UFRJ e na FMUP, que nos vem falar da relação entre o estado nutricional da vitamina D e o metabolismo em indivíduos obesos. Diana Morais, psicóloga e docente, vem falar-nos sobre geriatria e gerontologia. E Pedro Pestana, terapeuta da fala e cantor, vai explicar como se investiga sobre a voz, concretamente como é que se podem prevenir alterações na voz em fadistas.

18814078_1377747948960779_1383942424839722163_n

PubhD # 3 em contagem descrescente

flyer pubhd3

Nuno Ribeiro
Tema: tecnologias móveis, mudança comportamental e prevenção de cancro.
Bruno Ribeiro
Tema: Processamento digital de imagem e resolução de problemas
Pedro Figueira
Tema: Detecção e caracterização de planetas extrasolares

Introdução ao PubhD Porto

O PubhD é um tipo de evento que começou em Nottingham em 2014.

Traduz-se numa pergunta: Podes explicar o teu doutoramento num bar?

Formato

É um evento mensal em que 3 estudantes de doutoramento, de quaisquer áreas académicas, da História da Arte à Mecânica Quântica, explicam o seu trabalho no ambiente informal de um bar.

Damos as boas-vindas a qualquer estudante que esteja a fazer investigação ao nível do 3º ciclo de estudos académicos e que queira partilhar a sua história.

As apresentações têm 10 minutos de duração, seguidas de 20 minutos de amigáveis perguntas feitas pela assistência.

Este formato permite que os oradores preparem apenas uma apresentação sucinta. Por outro lado, possibilita focar o evento naquilo que a assistência está interessada em saber.

Estamos também abertos a propostas de estudantes de pós-doutoramento.

Sou estudante: o que recebo em troca?

Uma cerveja ou duas, ou outra bebida de valor equivalente.

Além disso praticas a tua capacidade de falar em público e de explicar a tua área de investigação a pessoas que não são especialistas, mas que estão interessadas no tema.

E podes incluir no teu CV, numa época em que tanto se pede aos académicos e cientistas que interajam com a sociedade.

Qual é o interesse para a assistência?

Há sempre algo interessante para ouvirmos num fim de dia, talvez algo de que nunca tenhamos ouvido falar. E sobretudo a possibilidade de fazer perguntas e satisfazer a nossa curiosidade sobre assuntos que quase sempre têm algo a ver com o nosso dia-a-dia.

Quanto custa?

Não temos nenhum financiamento (somos independentes e não estamos ligados a nenhuma universidade), e por isso haverá um chapéu (e que chapéu!) que passará em volta para que cada pessoa da assistência, na medida das suas possibilidades, contribua com 0,50€ a 1€ para as bebidas.

Afinal, se alguém lhe explicasse coisas fascinantes ao balcão de um bar, não lhe pagava uma cerveja?

Próximos passos

Se fores um estudante de doutoramento, em que área académica for, e quiseres viver a experiência de explicar a tua investigação a uma assistência interessada e no ambiente informal de um bar, em troca de uma bebida ou duas, por favor contacta-nos!

Por último, um muito obrigado aos organizadores do primeiro PubhD, em Nottingham e ao Sérgio Pereira do Pubhd Lisboa

Texto original de Sérgio Pereira do Pubhd Lisboa